sexta-feira, 20 de junho de 2008

The end

Não serei mais entorpecida pelo perfume de uma rosa, nem de um jardim todo.
Nada vai fazer voltar a cor de tudo a minha volta, todos os objetos e fotografias dele no meu quarto e nem aquele cheiro de roupa limpa que vinha de você vai me parecer bom.
Nada é tão decepcionante quanto ver meus planos, aqueles que eu agarrava com força, me escaparem por entre os dedos. Mas usava uma armadura, pois depois de tantos relacionamentos fracassados, finalmente aprendi que os momentos só são eternos na memória, e do mesmo jeito que amor chega arrebatador, pode ir embora da mesma forma.
Não quero fazer drama e nem preciso mais disso, talves eu só precise de um tempo para mim depois de tudo isso. Viver duas decepções iguais com a mesma pessoa em menos de um mês, é no mínimo traumático e eu já não posso mais pensar na idéia de me machucar.
Quando acaba o respeito num relacionamento nem o 'amor', é capaz de unir duas pessoas.
Não quero ser uma daquelas pessoas amarguradas que perderam a fé no amor, só acho no momento que o amor não foi feito para mim.
Nada vai reacender aquele sorriso que eu portava por todos esses dias, o cansaço levou o meu brilho embora.
Nada vai me fazer mudar de idéia e passar em cima dos meus sentimentos, que estão quebrados sim, para tentar erroneamente viver um sonho com alguém que não merece sequer uma palavra. E muito menos, uma lágrima, para dizer que não chorei, só consegui derramar umas 3 lágrimas, o que já é demais.

'Mas o que eu queria mesmoÉ ter um copo de água suja Pra beber e parar de fingir Não saber se o vazio é bem maior Agora que sabemos ter feito O melhor pra nós dois E deixamos tudo mais pra depois'
Os funerais do Coelho Branco- Dance of Days

Um comentário:

lê B. disse...

emo demais isso, já li faz tempo! mas agora tenho um blog :P